fbpx
ENSAIOS FILOSÓFICOS <br><br><br><br>

ENSAIOS FILOSÓFICOS



NO CONJUNTO DOS 21 ENSAIOS DESTE VOLUME, QUE ARTICULA FILOSOFIA COM A ARTE, A HISTÓRIA, A POLÍTICA E A CIÊNCIA, SOBRESSAEM A ERUDIÇÃO RIGOROSA, A ELEGÂNCIA DO ESTILO E A PROFUNDIDADE DA REFLEXÃO DE BENEDITO NUNES.

Título: Ensaios Filosóficos

Autor: Benedito Nunes

Organização e apresentação: Victor Sales Pinheiro

Editora: Martins Fontes

Ano: 2010

  1. de páginas: 372

Leia a Apresentação deste livro, na seção Escritos.

Adquira este livro na Livraria Cultura ou Estante Virtual.

Sumário:

– Apresentação Os ensaios filosófico de Benedito Nunes, ou a sinóptica do fragmento – Victor Sales Pinheiro

  1. CONFLUÊNCIAS

– Poesia e Filosofia: uma transa

– Filosofia e Memória

– O fazer filosófico ou oralidade e escrita em Filosofia

– Casa, praça, jardim e quintal

– Vertentes

  1.  PLATÃO, NIETZSCHE E ARENDT

– Introdução à República de Platão

– Andarilho do conhecer

– A convergência política do ethos

III. HEGEL

– Atualidade da estética de Hegel

– Por que ler Hegel, hoje

– A morte da arte em Hegel

  1. SARTRE

– A crítica da razão dialética

– Les séquestrés d´Altona

– Do romance à razão dialética

  1. ESTRUTURALISMO

– À margem do estruturalismo

– Gênese e estrutura

  1. HERMENÊUTICA

– Nós somos um diálogo

– Pluralismo e teoria social

VII. TEMPO

– Narrativa histórica e narrativa ficcional

– O Tempo na Literatura

Apêndice:

– A Voz Inaudível de Deus

– Traduções

– Sobre os textos

– Obras do autor

Orelha:

“Não se poderia caracterizar melhor a natureza mista e ambígua do ensaio como espécie intermediária entre ciência e arte, entre abstração e teoria, que tende a unificar conceptualmente um campo fenomênico e o estilo que individualiza esse campo, pessoalizando-o, que o diversifica pluralizando-lhe o entendimento segundo as múltiplas perspectivas que o particularizam. A proposição de conhecimento recebe da obra em que se concretiza sua forma plausível, convincente, verossímil. Daí ser o ensaio o lócus privilegiado da interpretação, aquele em que se tenta a proeza das sínteses ousadas, das formulações compreensivas de conjunto, sempre falhas mas sempre inevitáveis, visando o todo da História, da sociedade, da cultura, e que a ciência social rotineira olha com desconfiança. Combinando a liberdade de imaginação e a ordem dos conceitos, esse arrojo hermenêutico solicita a utilização convergente, interdisciplinar, das ciências sociais dispersas na forma individuada, estética, de um discurso favorável à hipótese fecunda e arriscada, à discussão de questões emergentes, não confinadas a uma única disciplina e às soluções problemáticas”

Benedito Nunes

Quarta Capa:

Este livro reúne para significativa da fecunda obra ensaística de Benedito Nunes, um dos mais ativos e originais responsáveis pelo desenvolvimento da Filosofia no Brasil.

Abrangendo importantes resenhas crítica de recepção do existencialismo e do estruturalismo, publicadas na década de 1960, esta rica coletânea, arquitetada por Victor Sales Pinheiro, acompanha momentos culminantes de todo o pensamento hermenêutico do autor, marcado pela interlocução com as filosofias de Hegel, Husserl, Heidegger, Sartre, Foucault e Ricouer.

No conjunto dos 21 ensaios deste volume, que articula Filosofia com a Arte, a História, a Política e a Ciência, sobressaem a erudição rigorosa, a elegância do estilo e a profundidade da reflexão de Benedito Nunes.

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho